Tatuador Miguel Dimas troca agulhas por pincéis e expõe 15 peças inéditas em Bauru

terça-feira, 21 de junho de 2011


Há uma década Miguel Dimas, 28 anos, usa a pele como tela para sua obra. Tatuador de profissão e estudioso das artes por princípio, há dois meses resolveu mesclar técnicas e transpor o traço em braços e costas para madeira e tecido.

O resultado são 15 peças inéditas que poderão ser contempladas a partir desta terça-feira, na mostra “Tatuaria – Arte e Comportamento”, no Templo Bar, na cidade de Bauru.

Na adolescência, Miguel fez curso de desenho e, quando partiu para os Estados Unidos para estudar tatoo, percebeu que os tatuadores de lá eram artistas  completos, tinham quadros assinados por eles nas paredes dos estúdios, camisetas com suas ilustrações nos corpos de clientes e fãs.

“Percebi que era um trabalho integrado e cheguei à conclusão de que a pintura vem aumentar as técnicas de pigmentação na pele. A delicadeza e a precisão da tatuagem também levam outro estilo à pintura”, comenta o artista que, agora, além das agulhas, se dedica ao nanquim, tinta a óleo, acrílica, pincéis, lápis HB e de cor,  e até giz pastel e de cera, além do aerógrafo.

Sempre pensando que o que teria bom efeito na tela também seria impressionante na pele.

Acervo/ As 15 obras que Miguel  Dimas apresenta vêm em pequenas séries. Quatro corpos talhados em MDF expõem dragões no melhor estilo tatoo e mesclam estilos marcantes da tatuagem.

A ideia do autor é mostrar a estética corporal e o trabalho final como um fechamento de corpo (termo utilizado para o preenchimento  completo de uma área pela tatuagem).

O trio de molduras antigas ganha pessoas modernas com um toque realista, são quase fotografia, estilo que o tatuador sempre admirou.
O duo heróis de HQs traz Batman e o Homem de Ferro.

“Esse Homem de Ferro tem uma história interessante: comecei a pintá-lo num domingo às seis da tarde e só consegui parar quando ficou pronto, na segunda, às nove da manhã”.

Aliás, quase todo o trabalho de artes plásticas de Miguel Dimas é feito assim. Depois de um dia de trabalho, no silêncio da noite ou embalado por uma “musiquinha”, como ele mesmo diz. Às vezes, um café e um energético lhe fazem companhia e garantem as horas acordado para finalizar uma obra.

Nesse ritmo, o tatuador levou apenas dois meses para criar sua primeira exposição e as primeiras peças de seu acervo. Quadros que não estarão à venda. O artista quer apenas, neste momento, ter e mostrar o seu trabalho para o maior número de pessoas.

“Quero que vejam e digam: que bonito! Que se espantem ao saber que quem fez foi o cara da tatoo e que ele também pinta.”

Aliás, Miguel já surpreendeu os poucos que tiveram acesso às obras, ao criar uma tela de grandes proporções com o Coringa, interpretado por Heath Ledger, pintada com os dedos.

Miguel Dimas: Pinturas
Quando  abertura terça, às 20h30, e visitação até o dia 2 de julho
Onde Templo Bar (rua Benjamin Constant, 1-34)
Quanto grátis
Informações: (14) 3223-3493

Deixe um Comentário